Uma perspectiva estratégica para impulsionar a transformação digital

Uma perspectiva estratégica para impulsionar a transformação digital

Publicado por nome do autor em data do post

A transformação digital é um processo pelo qual todas as empresas devem passar. Sim, é um dever, não mais uma opção caso o negócio queira se manter competitivo em seu mercado. Essa mudança organizacional envolve uso de tecnologias digitais que otimizam toda a atividade. Isso envolve processos internos, fluxos de trabalho e, claro, relacionamento com o cliente.

Dispositivos móveis, inteligência artificial, internet das coisas (IoT), computação em nuvem, blockchain, Big Data, impressão 3D, Business Intelligence, robótica… Todas essas soluções podem ser combinadas a um modelo de negócios para gerar mais valor e crescimento.

Mas não basta apenas inserir tais soluções e esperar a mágica acontecer. É preciso ter uma perspectiva estratégica para impulsionar a transformação digital nas empresas. Neste post, falamos um pouco mais sobre isso.

Os motivos para aderir à transformação digital

A primeira parte de qualquer estratégia envolve estudo e planejamento. O gestor de negócios deve saber onde quer chegar, os motivos que o levam a estabelecer essa meta e o que fazer para atingi-la. No caso da transformação digital, os motivos são muitos.

Pense nos clientes de sua empresa. Todos os consumidores adotam e se beneficiam da tecnologia em suas experiências de compra. A informação sobre preços, qualidade e reputação de um negócio está na palma da mão. No mesmo sentido, o fluxo de informações pessoais, com suas necessidades, hábitos e ações, também está na rede.

Esse contexto relacionado ao consumidor traz dois aspectos para uma empresa. O primeiro é que ela precisa encontrar soluções tecnológicas para aprimorar seus serviços e estar mais competitivo. Isso significa ter processos com custos reduzidos, em tempo hábil, para oferecer o melhor custo-benefício ao consumidor.

O segundo aspecto é utilizar a tecnologia para investir no relacionamento com o consumidor. Se estamos em uma era de foco no cliente (Customer Experience e Customer Success), nada mais justo do que ter soluções que otimizam essa relação. Um exemplo simples é o CRM.

“Ruptura digital”

O mercado muda rapidamente. Com o surgimento de novas tecnologias, as empresas estão mais suscetíveis à chamada “ruptura digital”. Alguns setores, como empresas de manufatura, de pneus e de mídia, empresas automotivas e varejistas, estão no centro da transformação digital. Elas abraçam a mudança por necessidade e se beneficiam muito dela, veja:

  • Sensores IoT em pneus e sensores de reposição automática de itens domésticos usados;
  • Uso de robôs nos balcões de serviço de concierge para atendimento aos hóspedes;
  • Impressão 3D de peças de fabricação personalizadas e de carros;
  • Digital twins para criação réplicas digitais de equipamento;
  • Jornalistas robóticos baseados em IA e machine learning;
  • Blockchain para transações imobiliárias.

Esses são apenas exemplos de quem abraçou a ruptura digital e atualizou suas atividades. E o que isso significa para seu negócio? No primeiro momento, se sua empresa não aderiu à transformação digital e seus concorrentes e líderes do mercado já tiram vantagens dessas tecnologias, eles possuem maior oferta de valor e eficiência operacional, além de entregar uma melhor experiência do cliente.

No segundo momento, significa que a mudança está também ao seu alcance. Se o gestor do negócio traça uma boa estratégia para promover a ruptura, poderá acompanhar essas mudanças e se manter competitivo.

O importante é saber as tecnologias digitais certas. E como fazer isso?

Formas de impulsionar a transformação digital

Criar e capturar novos valores comerciais a partir da transformação digital não pode ser uma estratégia aleatória. Por isso, inicialmente, você deve determinar o senso de urgência de sua empresa.

O que é o senso de urgência?

Senso de urgência é saber que é preciso ter pressa para entender como se desenvolve a mentalidade digital e investir nela. Por conceito, é o tempo que cada empresa demora para executar uma ação. Esse senso de urgência possui três implicações:

  • Trabalhar com propósito e intenção baseando-se em dados;
  • Compreender a importância do trabalho feito e seus reflexos em iniciativas e objetivos maiores dentro da empresa;
  • Priorizar as necessidades da empresa.

Você sabia que, apesar de 46% das empresas varejistas brasileira acreditarem que as tecnologias digitais alteram a forma de fazer negócios radicalmente, somente 36% têm um planejamento detalhado para adotar essa transformação? É o que constatou a pesquisa realizada pela Capgemini.

Esse planejamento da transformação digital envolve a cooperação de várias pessoas, que inclusive sairão da zona de conforto. Mas é o que precisa acontecer para que a ruptura realmente seja feita. Afinal, essa transformação acontece na mentalidade e nas ações. O uso de soluções tecnológicas inteligentes só será efetivo se os profissionais estiverem mentalmente preparados para ele.

Pesquisa

Outra etapa para impulsionar a transformação digital em uma empresa tem a ver com a pesquisa. Um gestor deve se fazer muitas perguntas direcionadas para encontrar esse novo rumo.

Quanto ao mercado, o gestor deverá se perguntar quais as novidades e as tendências de determinado setor e qual tipo de ruptura digital ele adota.

Quanto ao próprio negócio, ele deve entender se seus produtos e/ou serviços permanecem relevantes no mundo atual e se possui as capacidades certas de liderança, digitais e organizacionais, para impulsionar a mudança. Neste momento, é fundamental avaliar todos os pontos de contato com o cliente.

A partir dessa reflexão, poderá compreender os motivadores e os obstáculos, as virtudes e os pontos fracos, as oportunidades e as ameaças. Com isso, conseguirá verificar qual tipo de mudança precisa fazer para manter o negócio vivo. Por fim, deverá concluir a rapidez da ação e da transformação para que a empresa se mantenha bem no mercado.

Prática

Uma boa pesquisa, aliada ao senso de urgência, é o início da transformação digital de uma empresa. Na prática, para impulsioná-la é preciso ter uma forte liderança, compreensão das tendências digitais (novidades e obstáculos), geração de insights, definição e execução da visão. Quatro boas práticas podem guiar a transformação digital:

  1. Criar a oportunidade e o desafio a partir da pesquisa para desenvolver a estratégia. Para isso, é preciso avaliar o processo original, a jornada do cliente e sua experiência com a empresa, e a maturidade digital.
  2. Criar e desenvolver a experiência e a jornada futuras, com análises de viabilidade e usabilidade, determinando as tecnologias digitais mais adequadas. Com foco, basta comprovar conceitos e desenhar o roteiro da transformação digital geral. Envolver a organização, comunicando as mudanças, seus impactos e benefícios para todas as equipes, de modo a mobilizar o coletivo.
  3. Sustentar a transformação digital por meio de feedbacks, monitoramento e avaliação dos processos e das experiências.

Com a transformação digital, os gestores podem reposicionar e melhorar seus modelos de seus negócios, mas também criar novos modelos, produtos e serviços para impulsionar o crescimento, como é o caso da Salesforce. É o que chamamos de transformação digital dupla.

Com ela, você pode oferecer uma experiência do cliente mais completa e personalizada. Você está pronto? Fale conosco e conheça as soluções Salesforce para a transformação digital de sua empresa!

Feras no assunto

Quando se trata de nuvens Salesforce, somos especialistas em conectar estratégia e agilidade em um só projeto.

Fale com um especialista