Blockchain: tudo o que você precisa saber sobre

Blockchain: tudo o que você precisa saber sobre

Publicado por nome do autor em data do post

Afinal, como saber que estamos entrando de vez na Transformação Digital? Os sinais são muitos. A digitalização da vida como um todo, com o ambiente online tornando-se uma espécie de “segunda vida” das pessoas e empresas. Os primeiros indícios da Quarta Revolução Industrial já bem visíveis na cadeia produtiva. As ferramentas digitais e plataformas de serviços, como os softwares de gestão do relacionamento com cliente, cada vez mais uma necessidade das empresas. E claro, por trás disso, as novas tecnologias, como blockchain.

Mas espera um pouco… O blockchain não é algo relacionado ao mercado financeiro?

Bom, é sim — mas a tecnologia é tão funcional que cabe perfeitamente em todos os segmentos do mercado.

E hoje, já é possível identificar essa expansão.

Empresas de todos os tipos observaram as benécies do blockchain, uma tecnologia capaz de causar pequenas e grandes revoluções no dia a dia operacional e estratégico.

Na verdade, mais da metade das empresas entrevistadas pela consultoria Deloitte, em pesquisa mundial sobre o tema em 2019, elencaram o Blockchain como uma de suas top 5 prioridades estratégicas de investimento para o próximo ano.

Além disso, quase todos (86%) afirmaram que a escalabilidade da tecnologia, que pode se adequar em vários diferentes processos internos, é o que vai facilitar sua adoção.

Portanto, para empresas que buscam se destacar da concorrência e aprimorar seus processos internos, agregando valor às entregas, o blockchain será uma necessidade.

Entender tudo sobre a tecnologia, como sua origem e suas possíveis aplicações, é essencial para que você e sua empresa se coloquem à frente do mercado o quanto antes.

E então, vamos aprender mais sobre o blockchain e como a tecnologia pode revolucionar o seu negócio? Confira!

O que é o Blockchain?

Talvez o principal desafio por trás da aceitação do blockchain no presente seja, simplesmente, sua complexidade. Afinal, o principal de seus pilares é a confiança — por isso, um sistema intrincado é necessário.

O blockchain é uma “cadeia de blocos” (tradução literal do termo), encadeados e assegurados por criptografia. Cada bloco carrega um conteúdo (voltando ao mercado financeiro, pense nesses conteúdos como bitcoins) e uma impressão digital — portanto, única. Essa impressão é, comumente, chamada de “hash”

A assinatura, ou hash, é uma função matemática que gera um código de letras e números que representa o conteúdo do bloco.

Cada transação de conteúdo, ou seja, cada bloco novo adicionado à cadeia, contém dentro de si o conteúdo específico, uma nova assinatura e também a assinatura do bloco anterior, que geram uma identificação nova e igualmente única.

Veja na figura abaixo, originalmente criada para a revista britânica The Economist, a representação visual do funcionamento do blockchain:

blockchain-sottelli

A principal característica do blockchain é que trata-se de um meio descentralizado e totalmente seguro de transações. 

A tecnologia funciona como um livro-razão público e compartilhado. Para acessar o conteúdo do bloco, é preciso de uma chave particular e única, que apenas o destinatário possui.

Essa é a explicação básica do funcionamento do blockchain, mas saiba que há muito mais por baixo da superfície.

O blockchain é uma tecnologia inovadora justamente porque descentraliza qualquer troca, seja de conteúdo ou de valores.

Pense, por exemplo, numa situação convencional: você precisa receber R$ 2.000,00 por um trabalho. O que faz? Envia seus dados bancários ao responsável pelo pagamento, que então transfere o dinheiro para sua conta. Só então, você pode pegar o dinheiro.

Percebeu a diferença? Há um terceiro aí, o banco.

O blockchain é um sistema que permite que essa transação seja direta: entre você e quem te deve o dinheiro. Sem taxas, sem intermédios.

Como o blockchain, portanto, é uma cadeia de blocos sustentada pela rede de computadores que a compõe, é praticamente impossível, por exemplo, invadir esse sistema.

Para isso, seria preciso hackear 51% dos computadores que fazem parte da rede — em todo mundo.

O blockchain, portanto, é um sistema anti-fraude e cujas transações são impossíveis de modificar. A tecnologia garante sigilo total dos dados, bem como sua segurança e integridade, garantindo que saia do ponto A e alcance o ponto B sem mudanças.

A origem do Blockchain

Afinal, quem criou esse sistema tão complexo e inovador?

Bom, aqui temos um mistério interessante: 

Entre 1991 e 2008, os especialistas Stuart Haber e W. Scott Stornetta tornam a tecnologia embrionária. Eles não estão diretamente conectados à criação do blockchain, mas contribuíram de forma indireta ao desenvolver blocos criptografados para proteção de dados (como data e hora de registro), impossíveis de ser adulterados.

Em 2008, porém, veio o conceito de blockchain por meio de Satoshi Nakamoto, no artigo acadêmico “Bitcoin: um sistema financeiro eletrônico peer-to-peer”.

Afinal, se trata de um especialista japonês? Um grupo deles? Uma empresa? Aí que está: ninguém sabe. Até a publicação deste conteúdo, Satoshi Nakamoto é apenas um pseudônimo.

O importante é que vingou.

Entre os anos de 2010 e 2013, a tecnologia amadureceu e as primeiras transações de bitcoin foram efetuados. Com isso, veio uma onda de aplicativos financeiros sobre o tema, plantando a semente de interesse no mercado de criptomoedas.

Em 2015, os primeiros passos da tecnologia blockchain além do mercado financeiro. Os primeiros testes são efetuados.

A partir de 2017, houve um aprofundamento de especialistas, pesquisadores, desenvolvedores e empresas no tema.

O blockchain finalmente encontrou os primeiros espaços no mundo corporativo, com aplicações bem-sucedidas que abriram as portas para novos nichos de atuação.

Em 2019, de forma inovadora, como é comum na empresa, a Salesforce apresentou a primeira plataforma de desenvolvimento Low Code para CRM (que facilita a operação de desenvolvimento de aplicações substituindo as infinitas linhas de código por um dashboard visual) com base em Blockchain.

Hoje em dia, o blockchain já transcendeu as barreiras da segmentação e pode ser aplicado em todas as frentes de negócio.

Na prática: para o que serve o Blockchain — além do mercado financeiro?

Parece que o blockchain possui uma estrutura muito familiar ao mercado financeiro. Como então adaptá-lo a outros segmentos do mercado e reservar outras funções à tecnologia?

Smart Contracts 

Uma das principais aplicações é o smart contract — o contrato inteligente.

Contratos são documentos frágeis em sua essência. São alvos de ações ilícitas em vários casos, seja na esfera privada como especialmente pública. Normalmente, essas ações tem a ver com valores.

Com o blockchain, é possível aprimorar a gestão de contratos em uma empresa, automatizando boa parte dos processos ao implementar os smart contracts.

Pense em um contrato de serviço entre uma facção têxtil e uma loja de departamentos. A facção se comprometeu a entregar 1000 calças, 2000 camisetas e 4000 bermudas.

Com um smart contract, é possível utilizar de sensores, dispositivos e softwares inteligentes e conectados (por meio da IoT) para, por exemplo, analisar cada entrega da facção no depósito da loja de departamentos.

A partir do momento em que as 1000 calças, 2000 camisetas e 4000 bermudas são entregues, o pagamento é liberado automaticamente.

O mesmo se aplica, por exemplo, em uma construção. Por meio de análise de sensores, é possível rastrear a evolução de uma obra (ou sua conclusão), liberando automaticamente o pagamento devido.

Ou seja, um processo que se dá em tempo real, com base em inteligência analítica e imparcial, sem a intervenção de pessoas.

No caso, cada empresa teriam uma plataforma de blockchain de gestão dos smart contracts específica para seu segmento, com dispositivos e softwares necessários.

Gestão de Processos

Imagine um frigorífico em uma missão particularmente difícil: a supervisão de seus caminhões e carregamentos de carne pelo Brasil. Sabe-se que esse é um processo delicado, pois os caminhões são refrigerados (e não podem sofrer variações significativas na temperatura), é o produto é perecível.

Se tratam de processos desconexos, mas dentro de um mesmo guarda-chuva (logística). Como os gestores podem garantir que todos os carregamentos estão em condições corretas e à caminho do seu destino, especialmente se o serviço for terceirizado?

Bom, aqui o blockchain também pode ajudar.

A tecnologia pode ser incorporada a um software de gestão de processos. Dessa forma, é possível que os gestores e executivos da empresa tenham em mãos, em tempo real, cada passo das suas entregas.

As informações dos carregamentos são enviadas via blockchain a um banco de dados antifraude, com data, hora e responsável pela carga ou despacho dela.

Dessa forma, com controle total dos processos, é possível verificar o andamento das entregas, dando mais dinamismo e confiança à logística. Ou, ao contrário, destrinchando falhas no sistema de envio dos produtos, possibilitando o rastreio exato das falhas.

Qual o papel do Blockchain na Transformação Digital?

O blockchain ocupa um lugar de protagonismo no tema da Transformação Digital, sendo um dos seus pilares.

Através da tecnologia, foi possível que inovações sem precedentes revolucionassem o mercado financeiro e, por consequência, o resto: como judicial, de gestão de projetos e de gestão do relacionamento com clientes.

Por exemplos, dados indicam que até 2025, mais de metade dos provedores de plano de saúde utilizarão o blockchain em suas operações diárias. Afinal, a segurança da informação (especialmente a sensível) é uma necessidade para o futuro.

Além disso, para se ter uma noção, até 2018, já existiam mais de 25 milhões de carteiras de blockchain.

Ou seja, apesar de teoricamente desconhecida, a tecnologia do blockchain já cativa e serve a milhões de usuários em todo o mundo.

Como o Blockchain pode agregar ao seu negócio?

E como o blockchain pode ajudar a sua empresa? Seja um PME ou uma grande companhia, que nada tem a ver com mercado financeiro.

Bom, além de ser um dos caminhos futuros para a economia, o blockchain é também o futuro da programação. Pois ela simplifica o sistema, possibilitando uma expansão muito maior em relação aos métodos de programação tradicionais.

É só ver pelo Salesforce Blockchain presente na plataforma de desenvolvimento Low Code.

Além de estar integrado a uma tecnologia revolucionária como o Low Code, o blockchain age reforçando as estruturas do software em criação. Dessa forma, as informações são asseguradas na cadeia de blocos e podem ser compartilhadas em uma rede confiável de parceiros ou terceiros envolvidos no projeto.

A Quarta Revolução Industrial também é uma das principais interessadas em todo potencial do blockchain — e sua empresa, por consequência, também!

O blockchain possibilita a descentralização dos processos produtivos, com uso de redes de dispositivos IoT, bem como o movimento prega. Ou seja, não basta apenas ter internet e o dispositivo inteligente: é preciso de um canal de comunicação que ligue o dispositivo a uma base de dados — tudo de forma segura e inviolável.

A Salesforce e o Blockchain

Como ficou evidente, o blockchain será uma parte essencial do futuro do mercado corporativo em seus vários níveis. Trata-se de uma tecnologia revolucionário, com bases sólidas na Transformação Digital e potencial gigantesco de atender diferentes demandas em diferentes empresas.

Hoje em dia, vários processos corporativos são desestabilizados pelos fracas estruturas de segurança, em especial àquelas envolvidas com a segurança das informações.

Dados, hoje ativos tão valiosos para os negócios, podem ser facilmente acessados, roubados e modificados.

Em essência, o blockchain chega para botar um ponto final nisso.

Porém, além disso, ele também se torna um meio de comunicação mais transparente entre duas ou mais partes envolvidas em projeto. Ou seja, informações reais entregues de forma integral aos stakeholders de cada projeto.

No campo de gestão, significa uma transformação.

O Salesforce Blockchain possibilita justamente um meio de desenvolvimento de soluções para que o CRM tenha funções específicas, de acordo com a necessidade do seu negócio.

Com a plataforma Low Code da Salesforce, é possível implantar e gerenciar redes, fluxos de trabalho, contratos e aplicativos em blockchain. De forma simples, sem a necessidade de programação complexa.

Definitivamente, o blockchain significa o futuro. Com as inovações de hoje e o potencial para o amanhã, é difícil estimar o quão impactante a tecnologia será, porém, é possível prevê-la em cada processo do nosso dia a dia.

A sua empresa, cabe se atentar à novidade e investir cedo para sair na frente do mercado, destacando-se dos concorrentes e tornando suas entregas ainda mais eficientes.

Gostou do conteúdo? Fique de olho no blog para mais!

E está interessado em contar com uma ou mais soluções Salesforce em seu negócio, converse com um de nossos especialistas e entenda como a Sottelli, master reseller do CRM número 1 do mundo, pode te ajudar!

Feras no assunto

Quando se trata de nuvens Salesforce, somos especialistas em conectar estratégia e agilidade em um só projeto.

Fale com um especialista